REFUGIADOS EM SUA PRÓPRIA CASA?

É o assunto do momento. São pixels e mais pixels de pessoas desesperadas procurando um lugar para viver. A “crise dos refugiados” me leva a um mundo primitivo, onde não há Amor real. Onde os sentimentos que realmente trazem felicidade simplesmente não existem – liberdade, igualdade, fraternidade.

É muito grave essa crise. Expõe a céu aberto o pior da humanidade.

E, quem sabe, o seu melhor: parece haver um esforço do governo da Grécia de abrigar pessoas de maneira honrada. Na reunião entre líderes de países europeus, no último fim de semana, os gregos disseram que não farão ‘campos de concentração’ para os imigrantes. A pequena Grécia, que está vivendo uma forte crise econômica, mas que foi o solo de Sócrates, Platão, Pitágoras e Péricles. Algo dessa herança, de alguma maneira, está reverberando nesse momento.

Desde janeiro, bem mais de 350 mil seres humanos fugiram da carnificina no Oriente Médio. Demorou a cair a ficha de governantes da Europa. Está demorando a cair a ficha de todos nós: cercamos nossas casas de grades na ilusão de que ficaremos ‘a salvo’. Tentamos blindar nossos corpos, mas nunca conseguimos blindar nossas almas. Enquanto existir uma única pessoa sem pão, sem teto ou sem dignidade no mundo, estaremos em ‘perigo’. Exatamente porque a verdadeira segurança é uma rede energética, com todos interligados, se protegendo e se amparando.

Tenho certeza de que, no meio do caos, há pessoas prestando toda a ajuda possível, independentemente de credo ou nacionalidade. Tenho certeza de que ainda conheceremos belas histórias de abnegação e compaixão, que estão sendo vividas nesses meses. De uma família alemã que adotou três crianças sírias que perderam os pais no Mediterrâneo; ou de um milionário austríaco que, inspirado em Mozart, construiu uma linda edificação para muitos imigrantes e propiciou-lhes chances de emprego. Ou de um grupo que, da América do Sul, enviou diária e anonimamente doses generosas de fótons coloridos para os desabrigados. Esses gestos são constantes nas crises. Só são muito pouco ou nada divulgados.

Só se fala em refugiados… Passados longos 4 anos do início da guerra civil síria, que já gerou a morte de mais de 300 mil pessoas nos dois hemisférios.

Na verdade, demoraram muito a falar em refugiados. E só falaram porque uma multidão procura a Europa pelo mar.

Para onde iríamos se jogassem uma bomba em nossas casas? Para outra galáxia? Não conseguimos ainda nem fazer um foguete espacial tripulado que ultrapasse a Lua…

Refugiados?
Quem é refugiado em sua própria casa?
A Terra é a casa de todos nós.

arte_com_refugiado_da_S_ria06

Do artista Gunduz Aghayev, do Azerbajão, diante da notícia da criança de apenas 3 anos que se foi nas águas do Mediterrâneo e se tornou o símbolo da crise. Aghayev faz ilustrações incríveis desfazendo as fronteiras que não deveriam existir entre o Ocidente e o Oriente.

TUDO O QUE QUEREMOS SABER ESTÁ ESCRITO NAS ESTRELAS?

Interstellar

O que “A Teoria de Tudo” e “Interestelar” têm em comum? Universos infinitos, buracos negros, supernovas, muito mais e Kip Thorne. O físico teórico amigo de Stephen Hawking é o consultor científico de “Interestelar” e personagem de “A Teoria de Tudo”. Finalmente, o cinema chegou ao futuro. Dinossauros, sangue a esmo e depressões já estavam muitos cansativos…

Kip Thorne

Kip Thorne

Nos atendimentos terapêuticos, os sorrisos vão regressando às pessoas quando belas imagens se imiscuem no trânsito cerebral. Quando a tristeza é reprisada, permanece e se multiplica. A sábia Natureza extinguiu os dinossauros, certamente, por ótimos motivos. A depressão incapacita atualmente 7% da população mundial – cerca de 400 milhões de pessoas – de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde). A tendência menos otimista é que esse número dobre em 20 anos. Se os tristes continuarem assistindo filmes depressivos, provavelmente, esse número será muito maior. Você pode fazer a experiência em casa, como faço nos atendimentos: assista ou peça para alguém assistir, durante 7 dias, somente programas e filmes alegres; na semana seguinte, durante o mesmo período de tempo, assista somente programas e filmes depressivos, aterrorizantes, macabros, cruéis… Incrível a diferença que faz!

O corpo e a mente respondem como um violino. Quando dedilhado com carinho e beleza reage e se encaminha para novos rumos mais felizes. Quando maltratado, afff…

Um futuro melhor para o planeta e todos nós está escrito na Ciência. Na que já foi revelada, na que está se revelando e na que será revelada. Quanto mais olharmos para cima – e para dentro de nós mesmos com sinceridade – mais próximos estaremos desse futuro. As vidas de personalidades como os físicos Albert Einstein e Hawking deveriam ser contadas nas escolas desde o jardim de infância. Isso daria asas para que a imaginação infantil não tivesse fronteiras quando se tornasse adulta. O cinema adora fazer filmes de assaltos, assassinatos e bandidos ‘bem-sucedidos’. Seremos outros quando se fortalecer o movimento iniciado com o longínquo “2001: Uma Odisséia no Espaço”, passando por “ET O Extraterrestre” e “Contatos Imediatos do 3º Grau”, e que está ganhando mais consistência agora, quase 40 anos depois (!!!!!!).

ET

Você identificou Kip Thorne em “A Teoria de Tudo”? Vou adiantar que ele fez as equações que possibilitam a luz espiralar em direção ao buraco negro em “Interestelar”. Um feito inédito: é a primeira vez que um resultado científico é ‘publicado’ na grande tela. Qual a importância disso? Um buraco negro é o resultado da morte de uma super estrela. Ao seu redor, a força da gravidade é tão absurda que suga toda a luz e a velocidade que se aproximam. Na fronteira entre o Universo ‘normal’ e o poder de sucção do buraco negro há um espectro luminoso, que Hawking revelou, Thorne quantificou e “Interestelar” mostrou. A Ciência tem uma curiosidade tremenda em ver o que há por trás dessa luz. Será que o buraco negro é um caminho para outros mundos? Será que lá há as respostas para o futuro da humanidade… Afinal, a vida na Terra tem uma data máxima de uns 3 bilhões de anos.

Em “Interestelar”, por trás da dança de luzes, o astronauta Cooper (Matthew McConaughey) encontrou outra dimensão, com outras frequências. Em “A Teoria de Tudo”, o aluno de Física Stephen Hawking (o excelente Eddie Redmayne) é incentivado a imaginar o que outros nunca tinham imaginado antes. Hawking persegue a teoria que responderia a todas as perguntas: Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos? Seu amigo Kip Thorne expõe mais questionamentos em “Interestelar”: o tempo e o espaço não existem e podemos estar em qualquer lugar no passado, no presente e no futuro?…

Para além disso, “A Teoria de Tudo” é uma linda e comovente história de amor. Capaz de apoiar qualquer cura de corações e de mentes.

Teoria de Tudo

Há muito o que conversar sobre os “filmes de futuro”.

ANATASHA MECKENNA: ‘Comentário-Post’ de maravilhosos acordes e melodias

“Monica, amigos, gratidão por seus luminosos carinhos. Obrigada pela divulgação. Apenas desejo cantar com o coração para os corações de todos quanto mais puderem ouvir essa voz que apenas alguém muito generoso poderia ter criado. Não importa crença, filosofia, nada. Nada é maior que o amor que sinto por cada um de vocês e por toda a humanidade. Sonho ainda um dia poder abraçar sonoramente todas as pessoas desse lindo Planeta! Abraço com música e muito obrigada uma vez mais”.

ANATASHA MECKENNA

“Os bons corações são aqueles que não lançam apenas sementes, mas sim, os que adubam, regam e dividem seus frutos”. (Anatasha Meckenna).