UM LINDO FUTURO QUE NEM IMAGINAMOS…

O multicientista americano Carl Sagan dizia que se o homem desvendasse os mecanismos biológicos da fotossíntese avançaríamos anos-luz.
Transformar raios solares em oxigênio é um mistério tão complexo que nem mesmo a mais tenra das plantinhas consegue revelar.
E trata-se do ar que respiramos, de toda a Vida.

Até à Lua o homem chegou, mas a fotossíntese continua velada.
Por isso é tão preciosa a história que o amigo Eder Oelinton revela em seu blog http://suprimatec.com/2015/11/23/as-primeiras-cyber-plantas-do-mundo-fusao-entre-rosas-e-eletronica/

Rosas cor-de-rosa

O que a Ciência anda fazendo? Puseram circuitos eletrônicos dentro do caule de uma roseira viva, de maneira a desvendar o caminho que o material orgânico percorre.
As “cyber-plantas”, como estão sendo chamadas, poderiam, no futuro, multiplicar a capacidade energética saudável do planeta.
Acredito que conseguiriam mesmo equilibrar ecossistemas ameaçados.

Já imaginaram? A poluição da Grande São Paulo seria ‘comida’ por milhões de rosas cibernéticas… Ficaria tudo muito mais claro e muitíssimo mais bonito, com certeza!

Planeta Oval

Temos enfeado bastante a Terra. Estou assistindo uma série produzida por Steven Spielberg, “Terra Nova” (2011). Como é lindo o planeta que aparece na TV!

A luz chegava aqui com toda a sua força energética, com o espectro colorido intacto. Na série, a floresta e os rios de 85 milhões de anos têm um brilho que desconhecemos. Claro que é impossível saber se era assim mesmo, mas, falando sério, qualquer exercício criativo nos leva até cenários como esse.

E nos transporta a cenários no futuro.

Arco-íris nas plantas

Já imaginaram? A Terra sem um único automóvel? Com um sistema de transporte coletivo, ultra eficiente, com asas e não poluente?

Naves

Já imaginaram? A Terra inteira coberta por verde, flores e frutos, que entremeariam habitações e outras edificações de pedras, com tecnologia já existente para que fossem agradáveis no verão e quentinhas no inverno?

Já imaginaram? A Terra habitada por cidadãos de todos os tipos sorrindo uns para os outros? Sempre gentis, sempre solidários, sempre pensando no bem-estar uns dos outros?

No Futuro

E, ainda mais: já imaginaram que, com o ar limpo e puríssimo, todos seríamos muito belos, com cabelos, rostos e corpos livres de sujeiras moleculares que comprometem a saúde e a juventude?

Várias rosas

Pois é, um outro futuro deveria inspirar a todos nós.
Um futuro que tornaria realidade o que de melhor tivemos no passado.
Um futuro que jamais sonhamos antes.

AO BRASIL, UM POEMA

Bandeira-do-brasil

Nesse instante, a energia criadora dos Universos lava o ar e a terra do Rio de Janeiro.
Dando a sensação de que está lavando o Brasil inteiro.
Com a chuva, escorre o desânimo, a revolta, a tristeza.
Entre as gotas que margeiam as ruas, se fragmentam a desesperança, a raiva, a dor.
Do Rio ao Brasil: os momentos que parecem mais difíceis são os momentos em que estamos aprendendo a ser felizes.
É hora de reconstruir;
É hora de ter a certeza de que tudo que está chegando é muito melhor.
As águas limpam os pontos escurecidos de nossos átomos,
As benditas águas clareiam e nos renovam:
Vamos encher nossos peitos com a força dos ventos;
Vamos acender a coragem de sermos amorosos conosco mesmos.
Iluminar cada linha de energia que passa por dentro e por fora de nós.
Cada um, iluminando, será capaz de iluminar toda cidade,
Todo país.
O líquido escorre, intermitente,
E os pássaros, abrigados, sorriem.
Lá no fundo sabem que, depois de cada tempestade, o horizonte fica desanuviado.
E, diante do novo céu, conseguimos enxergar,
Finalmente,
Que nos domando, nos modificando,
Transformamos o Brasil.

PODEROSA TERAPIA COM LINDAS PALAVRAS DE ‘TODA A GENTE’

Essa expressão lusitana é perfeita para definir “Rosa do Mundo – 2001 Poemas Para o Futuro”. O livro de 2 mil páginas traz 2001 poemas de autores de todo o planeta, desde os que viveram em civilizações remotas até os nascidos em 1945. E por quê conversar sobre ele 14 anos depois de seu lançamento? Porque é como se fosse inédito. É monumental, mas é pouquíssimo conhecido.

No primeiro post deste Blog falei sobre o ‘herói dos editores’, Manuel Hermínio Monteiro. Ele comandava a lisboeta Editora Assírio & Alvim e ganhava dinheiro publicando o que há de melhor na Literatura. Hermínio, como o chamávamos, conseguiu a façanha de publicar o maior compêndio mundial de poesia uns meses antes de virar uma estrela. Deixou-nos uma herança fantástica.

“Rosa do Mundo” é a poesia contando a história do mundo. Vocês conhecem o Mito da Criação do milenar grupo pastoral Fulani que habita o oeste da África? Nos tempos em que esse poema foi feito nem existiam fronteiras naquele continente. É o primeiro do livro: “No princípio existia uma enorme gota de leite./ Então chegou Doondari e criou a pedra./ A pedra criou o ferro;/E o ferro criou o fogo;/E o fogo criou a água;/E a água criou o ar./…”

“Rosa do Mundo” é uma corrente de poemas que, magicamente encadeados, traz alívio às angústias, às tristezas… De alguma forma, explica como e porque viemos parar aqui no meio da imensidão do Universo.

NebulosaFoto

“Há muitos e muitos milhares de anos, a poesia aproximou-se do homem e tão próximos ficaram, que ela se instalou no seu coração.” (Manuel Hermínio Monteiro)