PARA 2017

Monica T Maia

 

Para o Natal, as energias do perdão.

De qualquer tipo de perdão, para qualquer tipo de ofensa.

Vamos embrulhar, com fitas muito coloridas, todas as histórias que feriram os nossos corações:

Ou porque eram nossas histórias, ou porque passaram na TV.

Envolvendo-as com lindos papéis, todo o peso ruim se esvairá.

 

Para o Natal, as energias do amor.

De qualquer tipo de amor, para qualquer tipo de pessoa.

Com o coração leve, somos livres para descobrir o que é o Amor realmente.

Para viver, sonhar, imaginar, criar.

Novos amores, novas histórias, novas felicidades.

Para o Ano Novo, as energias do desapego.

De qualquer tipo de coisa, de qualquer tipo de gente.

Vamos limpar, com panos muito luminosos, todas as teias que mumificaram os nossos quereres:

Ou porque queriam ser nossas histórias, ou porque passariam a ser mais nada.

Emergindo-as com sabonete perfumado, tudo, até o diáfano, se dissolverá.

Para 2017, as energias da esperança.

De uma esperança grandiosa, como você nunca sentiu antes.

Mesmo que venha qualquer guerra,

Você a dissolverá no seu lago de vontades poderosas.

Porque você imagina, nesse precioso instante, as energias da paz para o Ano Novo.

De qualquer tipo de paz, para qualquer tipo de crise.

Com o espírito solto,

Somos capazes de descobrir a nós mesmos.

E de voar. Sem medo.

Com toda a gratidão.

Até no mar.

2017_mariana-maia-galindo_monica-t-maiaMariana Maia Galindo

PARA 2016

Monica T Maia - o mar

 

Monica T Maia

Para o Natal, as energias do perdão.
De qualquer tipo de perdão, para qualquer tipo de ofensa.
Vamos embrulhar, com fitas coloridas, as histórias que feriram nossos corações:
Ou porque eram nossas histórias, ou porque passaram na TV.
Envolvendo-as com lindos papéis, todo o peso ruim se esvairá.

Para o Natal, as energias do amor.
De qualquer tipo de amor, para qualquer tipo de pessoa.
Com o coração leve, somos livres para descobrir o que é o Amor realmente.
Para viver, sonhar, imaginar, criar.
Novos amores, novas histórias, novas felicidades.
Podemos até recomeçar o que teve fim.

Para o Ano Novo, as energias do desapego.
De qualquer tipo de coisa, de qualquer tipo de gente.
Vamos limpar, com panos muito luminosos, todas as teias que mumificaram os nossos quereres:
Ou porque queriam ser nossas histórias, ou porque passariam a ser mais nada.
Emergindo-as com sabonete perfumado, tudo, até o cinza diáfano, se dissolverá.

Para o Ano Novo, as energias da paz.
De qualquer tipo de paz, para qualquer tipo de crise.
Com o espírito solto, somos capazes de descobrir a nós mesmos.
E de voar. Sem medo.
Com toda a gratidão.
Até no mar.