DO MICRO AO MACRO DE NÓS

De uma bela casa, uma linda vista.
De um lindo planeta, uma fantástica visão.

Visão da Casa

O inimaginável começa diante de nós, no microcosmo que somos nós mesmos.
Daí as percepções vão se expandindo e, no alongar do tempo, o macrocosmo se revela.

Visão da praia

No Universo da matéria, as mais incríveis paisagens são, realmente, as nebulosas, Tiago Somogy Boú-Rizk (https://cosmosetudomais.wordpress.com/2015/12/02/a-arte-da-poeria-estelar/).
Elas têm todas as cores, todas as formas, todos os conteúdos.

Sim, as nebulosas desenham diante da imensidão e do esplendor de bilhões e bilhões de galáxias o que conseguimos ver: a infinitude e a pequenez.

Nebulosa Jolie

Somos minúsculos. Somos minúsculos quando não enxergamos as outras pessoas.

Não enxergamos o seu contorno físico, não enxergamos suas almas.
Elas passam e, imprevidentes, não compreendemos que um grande amigo foi embora sem que o conhecêssemos. Não compreendemos que aquela pessoa, se o nosso caminho cruzou, nem que por alguns segundos, trazia alguma experiência que nos enriqueceria.
Não conseguimos compreender, muitas vezes, nem quando a pessoa atravessa meses por nós.

Somos tão pequenos que não conseguimos nem enxergar os nossos verdadeiros corações.

Visão geral

Somos infinitos.
Todas as nossas experiências, somadas, se encadeiam, alcançando o espaço sideral, entrando na corrente de várias densidades de matéria, de várias frequências, de várias dimensões.

Onde podemos parar? Se nossos prótons, elétrons e nêutrons saltam, ininterruptamente?

Como podemos medir a nossa capacidade de amar se somos infinitos?

Praia Outro Lado

Adoramos pôr limites. Adoramos nos agarrar ao medo achando que ‘não podemos’ ou ‘não conseguimos’ ou ‘não temos capacidade’ ou ‘não, não e não…’

Praia brilhante

Não olhamos para as nebulosas.
99% das vezes, simplesmente, não olhamos para o horizonte que tem brilho e esperança, não conseguimos mergulhar os pés na areia branca, não olhamos nem para o céu que é o que há de maior à nossa volta…

Nebulosa Olho

Só conseguimos aprisionar a nós mesmos.
E bastava encostar a extremidade energética do pé na ponta da menor das nebulosas.

MATÉRIA ESCURA E JEITOS DE VIVER

Mangaratiba-2015

A internet é incrível quando nos faz conhecer pessoas incríveis. Conheci o Eder http://suprimatec.com, que me apresentou ao Tiago https://cosmosetudomais.wordpress.com. Os dois têm a qualidade de olhar para as estrelas, para novos futuros. E de conversar sobre isso. E eu resolvi me meter nessa conversa… hehehe…

Os dois falavam sobre matéria escura, energia escura… Que história é essa? Mal conseguimos nos entender com a matéria que conhecemos, aquela que forma nosso corpo, a do copo que bebemos água, da comida que comemos. Mal paramos para pensar que tudo isso é matéria, da montanha grandiosa à mais minúscula das bactérias. Só paramos para pensar um pouquinho quando algo dói. Ou porque ferimos o dedo na faca de cozinha ou porque nosso coração foi ferido.

Então, será que essa tal de matéria escura é quando a mágoa toma conta de nós e ficamos tristes e ‘escuros’? E a energia escura? Será que são pensamentos de frequência acelerada de outra pessoa que chegam até você e provocam desequilíbrio?

Será que bilhões e bilhões de frequências alteradas são capazes de produzir uma espécie de camada escura em torno do planeta?

Claro que não é nada disso. As explicações científicas estão nos blogs dos companheiros de jornadas digitais – COSMOS E TUDO MAIS (https://cosmosetudomais.wordpress.com) e SUPRIMATEC (http://suprimatec.com).

Só estou me permitindo uma licença poética: cada elétron que salta em nossa vida produz algum tempo de reverberação. Em nós e em quem está à nossa volta. Quando conseguimos dar e receber energias com matéria ‘clara’, digamos assim, tudo fica limpo. Ficamos inteiros, livres e felizes. Quando, feridos, escolhemos entregar a escuridão ao Universo e deixarmos conosco somente a luz do aprendizado, então, sim, é uma maravilha! Sentimos alívio e alegria.

A matéria clara, a matéria escura, a energia clara, a energia escura, tudo isso, imagino, está interligado. Os hindus dizem que somos todos luz e sombra. E que a nossa luz não deve rejeitar a nossa sombra. As duas devem conversar sempre e se entenderem com carinho. O bem e o mal não existem. O claro e o escuro são duas faces da mesma energia, das mesmas matérias. Todas estariam interligadas por fios sutilíssimos ou grosseiros – vide a teoria das cordas, um interessantíssimo debate da Física atual, também tratada no blog do Tiago. E se equilibram por si, mesmo que demore 10 mil anos…

Vivemos o claro e vivemos o escuro.

E, assim, deveríamos viver agradecendo, diariamente, todas essas experiências sensacionais que nos tornam melhores a cada dia.

Rosa Brasília

EBA!!! TAG ‘UM POUCO MAIS SOBRE MIM’!

2015-03-25 16.35.53

Dizem que cactos são guardiões e despertam a força interior do Ser para as transformações. Suas flores são as ‘da sabedoria’.

Atendo ao belo convite de Luana Sarantopoulos, do blog LULU NO PAÍS DAS MARAVILHAS, que emite energias sensacionais, viaja mundo afora e escreve livros!!! 😉

Também atendo ao convite de Larissa Florêncio, do blog Quase Um Mundo Perfeito, que adora “viver na minha própria imaginação” e tem delicioso gosto literário. Engraçado que ia indicar o blog dela para responder esta TAG quando vi que ela já tinha me indicado também… Esse mundo digital é incrível e ainda estou aprendendo… 😉

1. Sou muito azul e, cotidianamente, tento conseguir um maior equilíbrio entre as cores do espectro energético que vêm do Sol e envolve a todos nós.
2. Não suporto ver as coisas milimetricamente desarrumadas. Tenho feito um esforço tremendo para me livrar dessa irritante mania de perfeição.

3. Eu nunca fiquei muito tempo no mesmo lugar! Ou fazendo a mesma coisa! (Como a LULU NO PAÍS DAS MARAVILHAS) Ultimamente tenho tentado fazer disso uma qualidade e não obstáculo ao dificílimo exercício da paciência.

4. Eu já briguei muito mais do que gostaria a vida toda. Prefiro agora tentar – com muito esforço! – ser simplesmente feliz!

5. Quando criança adorava brincar com meus amigos imaginários. Lembro seus nomes até hoje.

6. Nesse exato momento estou comendo tangerina, escrevendo e imaginando maneiras de intensificar a transmissão de mensagens de otimismo e de esperança.

7. Eu morro de medo de mim mesma. De reagir errado na hora errada.

8. Eu sempre gostei de correr atrás dos meus sonhos. Hoje começo a entender que sonhos repletos têm a integralidade da compreensão.

9. Se eu pudesse, o planeta não teria fronteiras, os passaportes não existiriam e cada projeto bem-sucedido em cada área (Saúde, Educação, Agricultura, Emprego etc.) poderia ser espalhado por todo o lugar. Ah, teria livros, filmes e Arte de todo o gênero maravilhosos por todos os lugares.
10. Fico feliz quando vejo as pessoas felizes. Mesmo quando tudo à volta parece estar desmoronando.

11. Se pudesse voltar no tempo faria tudo, muitas vezes, diferente. Estamos sempre evoluindo e adquirindo a liberdade de não fazer igual da próxima vez.

12. Adoro o meu filho único, que me ensina a ver e sentir as outras pessoas com se fossem próximas.

13. Quero muito viajar. Para muitos lugares que ainda não fui. Gostaria enormemente de fazer um passeio de nave espacial… hehehe… 

14. Eu preciso sentir tranquilidade no coração e na mente para viver bem com tudo e todos.

15. Não gosto de ver que, tantas vezes, esquecemos que a vida é muito boa. E mostramos ingratidão. 😦 Isso mesmo LULU NO PAÍS DAS MARAVILHAS!

Para quem quiser participar, aqui estão as regras:
•Completar todas as frases.

•Repassar para 10 blogs e avisá-los.

•Marcar na postagem quem te marcou.

•Comente com o link de suas respostas.

E os blogs indicados são:

Sláinte Oxente

Crônicas do Quotidiano

SobNovolhar

– Dona D – Doce e Mente

Espaço de Virginia

Mundo Meu

Pequena Cozinha em São Luís

Ciência Devorável

Domesticando-me

Cinema é a Minha Praia

Blog Since 85

Palavras & Words

Blog da Het

DEU TCHIUXII?

Conversando com a Natália Lopes, do Domesticando-me, escrevemos uma palavra que, às vezes, usamos, mas não sabemos se já foi escrita para valer: “Tchiuxii”! A mesma coisa que dar pane, curto-circuito…

A sua vida já DEU TCHIUXII?
Natália e eu falávamos sobre mudar de vida, sobre ter a coragem de dar a volta por cima, sobre ter força para criar um novo destino para nós que traga mais felicidade.

Seu amor já deu tchiuxii?
Seu projeto já deu tchiuxii?
Seu condicionamento físico já deu tchiuxii?
Seu estudo já deu tchiuxii?
Sua carreira já deu tchiuxii?
Sua casa já deu tchiuxii?
Seu namorado já deu tchiuxii?
Sua mulher já deu tchiuxii?
Seu trabalho já deu tchiuxii?
Sua saúde já deu tchiuxii?
Seu desejo já deu tchiuxii?

Acho que devemos encarar o DAR TCHIUXII como um sinal de que estão chegando novidades. Vocês já prestaram atenção que, todas às vezes que deu tchiuxii, as coisas mudaram? Ardeu, doeu, algumas vezes machuchou, trouxe turbilhões, mas, pelo menos para mim, o tchiuxii trouxe novas compreensões e uma vida diferente e muito mais prazerosa.

Então, se DEU TCHIUXII, que tal abrir-se e abrir novas portas…?

Mesmo que, logo de cara, tudo fique meio fora de lugar:

2015-03-25 16.49.06

O EMPRESÁRIO AMERICANO QUE FICARÁ MAIS POBRE PARA ENRIQUECER OUTRAS PESSOAS

Por quê boa “coisa”? Bem, foi a melhor forma que imaginei para não existir fronteiras aqui. O Blog pode ter tempo e, certamente, espaço finito. ‘Coisa’ pode ser tudo – qualquer coisa no Universo para Boas Conversas. E em qualquer tempo.

Como a incrível história do empresário que decidiu, por livre e espontânea vontade, ficar mais pobre para enriquecer seus 120 funcionários.
Essa notícia merece ser manchete em todo o mundo, não é verdade? Por muitas semanas…
Vi no site da BBC Brasil (http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/04/150416_empresario_salario_rm):
Um estudo da Universidade de Princeton, atestando que o ser humano precisa de pelo menos US$ 70 mil (R$ 211 mil) por ano para “ser feliz”, baseou a decisão do empresário americano Dan Price, de 30 anos. Ele anunciou que, progressivamente, até 2017, diminuirá seu próprio salário – de US$ 1 milhão – em 90% para aumentar os salários de seus funcionários. Eles ficaram boquiabertos, mas quem acompanha a vida de Price já sabia que ele é um cidadão especial: tem o o mesmo carro faz 12 anos. Poderia ter muitos luxos, mas “quanto mais se tem, mais complicada se torna sua vida”, afirma ele.
O estudo da Princeton diz que ganhando o equivalente a R$ 17,5 mil por mês, o cidadão não sofre “os grandes impactos emocionais decorrentes da luta pela sobrevivência” e tem mais chance de ser feliz. Conheço pessoas que ganham bem menos do que isso e são realmente felizes; conheço outras que ganham bem mais e são infelizes. De qualquer maneira, merece aplausos a iniciativa, pois é muito mais fácil alcançarmos o equilíbrio quando a base da sobrevivência é mais tranquila…
E Price, certamente, ficará muito mais “rico”.

2015-05-07 13.03.13

Se você quer falar sobre uma Boa Coisa escreva aqui. Se você quer uma conversa veloz vá ao Twitter; se você quer uma conversa mais longa vá ao Facebook.