BOTOX E OS EXERCÍCIOS DE PACIÊNCIA

Já pus botox no rosto umas três vezes pelo menos. Faz uns quatro anos que não faço isso. Tem gente que fica bem, mas eu me sentia uma boneca de plástico. Umas ruguinhas são heróicas e gosto delas.
Nos estudos sobre terapia alquímica tenho aprendido que – como somos feitos de prótons, elétrons e nêutrons – as células e as moléculas rejuvenescem se conseguimos não ficar zangadas nem chateadas com os outros e conosco mesmas. Ainda não consigo fazer isso o tempo todo. Tenho me exercitado. Me sinto extremamente bem quando alguém esbarra em mim na rua e, simplesmente, finjo que não aconteceu. Não engulo sapo: apenas o coração reage de maneira tranquila diante de uma pessoa nitidamente atormentada. Não sobe aquele fogo que dá vontade de revidar, sabe? Não sentimos o ‘sapo’ quando realmente a ofensa só nos desperta compaixão.
Mas que fique bem claro: não consigo reagir assim todas as vezes. Afffff…..oh alma humana…..

Se você quer falar sobre Boa Beleza escreva aqui. Se você quer uma conversa veloz vá ao Twitter; se você quer uma conversa mais longa vá ao Facebook.

7 comentários sobre “BOTOX E OS EXERCÍCIOS DE PACIÊNCIA

  1. Muito interessante esse tópico, Monica. O uso da toxina botulínica é bastante novo para a estética e terapêutica, vamos acompanhar para ver o que acontece com o uso prolongado do produto nessas áreas.

    Ví que o FutureLearn.com começará um curso gratuito em junho para dividirem pesquisas feitas pelo the European Research Institute for the Biology of Ageing at the University of Groningen. O curso é ‘WHY DO WE AGE? THE MOLECULAR MECHANISMS OF AGEING’. Talvez te interesse!
    Um bom (e tranqüilo) dia para nós, afinal, a gente quer acumular poucas ruguinhas 🙂

    Curtir

    • Fab, o seu “sonho de estudar para sempre” é o meu sonho. A possibilidade de não sermos taxativos e estarmos sempre abertos às novidades pragmåticas ou conceituais. Tenho visto “rejuvenescimentos” apenas com novos brilhos no olhar. Vou dar uma olhada no curso que você sugeriu. A Alquimia traz os florais energéticos capazes – como a Física já mostrou nos últimos tempos – de conversar com nossos átomos e apoiar a modificação dessa rede de prótons, elétrons e nêutrons que nos forma. Um conhecimento muito antigo que está ressurgindo. A primeira rainha Elizabeth tinha em sua corte um alquimista constantemente consultado, John Dee. Muitos alquimistas foram queimados na Idade Média e esses estudos praticamente se perderam por muitos séculos. Gostarei muito de continuarmos conversando. Além de tudo, a Irlanda sempre me fascinou.
      BOM (and gorgeous!) DIA!

      Curtido por 1 pessoa

    • Muito obrigada, Bruna. Os últimos tempos têm me ensinado que as marcas feias no físico são as que provocamos em nós mesmos…
      Seja muito bem-vinda ao Boas Conversas!
      Adorei o Pug. Vamos conversar bastante no blog sobre cachorros. Tenho convivências incríveis com eles. Nos ensinam muito.
      Bom abraço!

      Curtido por 1 pessoa

  2. que delícia…. é nisso que eu acredito… Acho lindas as marcas que o tempo tem deixado em mim, as físicas e as emocionais. Adoro olhar pra elas e ver por onde já passei! Lindo texto. Vou lendo seu blog, aos poucos. Me apaixonando a cada palavra! Obrigada!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s